Saturday, March 13, 2010

Two directions / Duas direcções


Two directions, two places, one for each side. And a third, the one where the paths divide, with all the usual elements of a roadside place: Quite a few homes and their yards, maybe a shop and little else. Almost anonymous spaces that for many will say little or nothing beyond what might appear in the indicators... I like the little that, almost whispering, they suggest: Quietness enough, thirst killing, heat when the sun shines and shade when he shines too much.
Duas direcções, duas terras, cada qual para seu lado. E uma terceira, aquela onde os caminhos se dividem, um modesto lugar com todos os costumeiros elementos de um lugar de beira-estrada: Umas quantas casas e respectivos quintais, a eventual loja e pouco mais. Lugares quase anónimos que a muitos pouco ou nada dirão para além do que de útil possa constar das tabuletas indicadoras... Eu cá gosto do pouco que, quase sussurrando, me sugerem: Sossego quanto baste, o matar da sede, calor quando o sol aparece e sombra quando aparece demais.
Fabriano Artistico rough 7"x 5" - 140lb (18x12,5cm - 300g/m2) paper
Available: Click here / Disponível: Clique aqui

9 comments:

Rob Carey said...

Very nice, Paulo. I don't remember seeing you put signs like this in a drawing before, but I like it. Are these actual village names?

Paulo J. Mendes said...

Glad you liked, Rob. They aren't real names actually, but inspired in so many others that can be found here.
Wish you a great weekend :))

Rob Carey said...

You too- have a great weekend. We're getting a little warmth and sunny weather- hope you are too!

Paulo J. Mendes said...

Indeed, Rob, just like the painting. Enjoy it as much as you can :)))

Villager said...

A criatividade dos nomes nos sinais empatou com a da cena picaresca. Deve haver bastantes figueiras e videiras por aqui.

MarceloJ Bresciani said...

Belo trabalho! Eu adorei todas as sutilezas que a aquarela proporciona e vc soube muito bem explora-las. Parabéns!

Paulo J. Mendes said...

Villager, deve haver tantas que ninguém deve saber onde acaba a vinha e começa a figueira, e vice-versa :))

Marcelo, obrigado. Este trabalho foi extremamente agradável e nada complicado de pintar. São os que acabam por resultar melhor.

Um abraço cruzando o Atlântico para ambos!

Luís Bonito said...

Um abraço de parabéns pela excelente aguarela!
É tão cheia de luminosidade e pitoresca pelos elementos que a compõem.

Paulo J. Mendes said...

Obrigado, Luís. É uma cena muito simples, mas que resultou bastante bem.