Sunday, December 5, 2010

A porta que dá para o ribeiro / The door leading to the stream


Ao contrário do título, é claro que a porta em questão não dá para o ribeiro, pois presumo que ninguém a usaria - pelo menos voluntariamente - para se atirar à água. Mais parece tratar-se de um acesso a um quintal e respectiva “parafernália quintaleira” com destaque para a indispensável horta. Provavelmente até haverá outro acesso, ou pelo menos assim o espero, uma vez que com os caudais substancialmente aumentados no tempo das chuvas, utilizar este deverá ser um exercício de temeridade. Será nisso que está a pensar o simpático senhor que olha para as folhas da vinha que ainda não caíram? Não, ele deve estar a congeminar mais uma forma de podar a parte que se estende por cima do curso de água temporariamente manso. Será este ano que vai conseguir?
Unlike the title, it is clear that the door in question doesn't lead to the stream, because I assume that nobody would use it - at least voluntarily - to dip in the water. More appears to be an access to a backyard and its "backyardish paraphernalia" with its indispensable vegetable garden. Probably there will be another access, or at least I hope so, since using this one should be an exercise in foolhardiness with the flows substantially increased in the rainy season. Is that the man who looks at the remaining vine leaves is thinking about? No, he must be again devising some way of trying to do the pruning in the section that extends over the temporarily gentle stream. Is he going to manage this year?
Papel Fabriano Artistico cold pressed 12,5x18cm - 300g/m2 (5"x 7" – 140lb)
Disponível: Clique aqui / Available: Click here

6 comments:

Villager said...

Uma riqueza de texturas campestres - de que tanto sinto falta.
Bom domingo.

Paulo J. Mendes said...

Pintá-las, além de agradável, ajuda a matar as saudades :)))
Um abraço e bom Domingo!!

Lefrontier said...

Gosto muito do contraste entre o solzinho quente a incidir na parede e a sombra da quintal.

Paulo J. Mendes said...

Estes jogos de luz e sombra são bastante divertidos de pintar :)))

Luís Bonito said...

Já me imagino a dormir no Verão num daqueles quartos com a janela aberta e a ouvir a água do riacho a passar!
Mais um interessante e difícil jogo de luz.
Parabéns e um abraço.

Paulo J. Mendes said...

Não existem muitos sons mais agradáveis para embalar uma pessoa na hora de adormecer :))

Um abraço e boa semana!