Monday, July 5, 2010

A stretch of road in the morning / Um trecho de estrada pela manhã


It's not uncommon, in my small one-morning-excursions, to cross green and attractive road sections like this. I would even say that once left behind the ugliness of the suburbs, and having chose the route with relative discretion, a good percentage of what I go through is this type of landscape. It is not uncommon to pull over and stop, even just a few minutes, to exit the car and take a closer contact with what the eyes see, enjoying the silence and the freshess of the air. Often and because of this, when coming back home after traveling many miles, I find myself thinking that I did nothing more than to turn around like a fool with no apparent destination. Might not be so: By putting on paper the memorial result of such experiences, I conclude that the enjoyment, even for minutes, of these beautiful and discreet anonymous places may be exactly what makes me want, only a few days after, to get up early and go on the road again.
Não é raro, nas minhas pequenas excursões-de-uma-manhã, atravessar trechos de estrada como este, verdejantes e atraentes. Diria até que, uma vez deixada para trás a fealdade dos subúrbios e escolhido o trajecto com relativo critério, uma boa percentagem do que acabo por percorrer é este tipo de paisagem. Não é raro encostar e parar, apenas para sair uns minutos da viatura e ter um contacto mais próximo com o que os olhos vêm, apreciando o silêncio e a frescura do ar. Frequentemente e por causa disto, ao chegar a casa após percorrer muitos quilómetros, dou por mim a achar que nada mais fiz para além de dar voltas como um tolo sem destino aparente. Não será tanto assim: Ao passar para o papel o resultado memorial de tais vivências, concluo que o desfrutar, ainda que por minutos, destes belos e discretos lugares anónimos talvez seja exactamente aquilo que faz com que volvidos uns dias já esteja de novo em pulgas para me levantar cedo e ir para a estrada.
Fabriano Artistico rough 7"x 5" - 140lb (18x12,5cm - 300g/m2) paper
Available: Click here / Disponível: Clique aqui

10 comments:

Cherie said...

Beautiful art here! I am so enjoying looking through your gallery, your Etsy shop!! Saw your post at Twitter this morning, LOVELY ARTWORK!

YOU are an inspiration!

Best and Blessings,
Cherie

Paulo J. Mendes said...

Thank you for your kindness, Cherie, and congratulations on your art too. Wish you a wonderful & inspirational week :)))

Villager said...

Parece-me ver um campo de milho a médio-plano. Espero que não tenham plantado abóboras no meio como customavam fazer na Póvoa. Além de queimar a pele com as folhas do milho, eu queimava as pernas com com as ásperas folhas e caules dessas plantas quando eu as regava.
É bom viver no meio de tanta beleza. E é bom vê-la retratada neste lugar.

Paulo J. Mendes said...

Amigo Villager, pode passear à vontade no meio destes campos de milho, porque quem os "plantou" esquece-se sistematicamente que por esta altura do ano as viçosas e descomunais folhagens dos aboborais também têm lugar na paisagem :))
Um abraço!

AK said...

You have captured nature as beautifully as the streets around you. Brilliant.

Paulo J. Mendes said...

Thank you, Asit. I'm pretty happy with this one :))

Terry Banderas said...

This is beautiful.

Paulo J. Mendes said...

Thank you, Terry :)))

Luís Bonito said...

Admiro a riqueza desta paisagem, mas acima de tudo a forma com pintou as tonalidades claro-escuro por causa da sombra da encosta.
Abraço

Paulo J. Mendes said...

Este contraste das tonalidades, tão característico das estradas que serpenteiam pelos montes, é algo que me fica sempre na memória após estes passeios matinais...