Saturday, September 18, 2010

A valley / Um vale


I miss catching the fresh morning air in lush mountain valleys like this one, whose mere contemplation is so refreshing for the eyes and the soul. A time of the year when this show as simple as sublime becomes particularly special is increasingly approaching, as the horizons start acquiring new hues, from which some signs are already visible... It's just the simple and natural course of Nature, more or less changed in more recent times, and that certainly would not lend to these romantic reveries if, rather than a brush, the one who writes them had to hold a hoe such as the one carried by the strong lady...
Que saudades de apanhar o ar fresco da manhã em vales montanhosos e verdejantes como este, cuja simples contemplação é para os olhos e para a alma revigorante. Cada vez mais se aproxima uma altura do ano em que esse espectáculo tão simples quanto sublime se torna especial, à medida de os horizontes adquirem novas tonalidades, de que alguns sinais são já perceptíveis... Enfim, o simples e natural ciclo da Natureza com as voltas mais ou menos trocadas em tempos mais recentes, e que decerto não se prestaria a estes devaneios românticos se quem os escreve tivesse, ao invés do pincel, que segurar uma enxada igual à que transporta a vigorosa senhora.
Fabriano Artistico cold pressed 7"x 5" - 140lb (18x12,5cm - 300g/m2) paper
Available: Click here / Disponível: Clique aqui

4 comments:

Anonymous said...

Acho as montanhas espectaculares na (apenas aparente) simplicidade da sua execução: até parece simples...

Eduardo

Paulo J. Mendes said...

Não tendo "saído" cem por cento como eu previa, acabaram por cumprir. Na realidade, parece complicado mas é de facto bastante simples.

Villager said...

Posso cheirar muito bem o fumo resinoso assim como as uvas maduras. Viva o outono.

Paulo J. Mendes said...

Já se faz anunciar... Não era sem tempo, tinha saudades desses perfumes :))