Wednesday, September 8, 2010

Almost hits grandpa / Quase atropela o avô


I do not know why this agile kid goes up the stairs in a glance, almost trampling the moment of rest of the unprepared elder man. For me, he must have done "something" nearby, and comes to hide in any corner of the grandparent's old house where he may be spending a few days. Maybe soor maybe not, or maybe any other of many assumptions: Painting a watercolor and then not knowing what to write about it could only end in this sterile “chewing” of words with the sole purpose of garnishing the image with a few lines of text... Laziness or a lack of imagination? Maybe one, maybe the other.
Não sei porque sobe as escadas num ápice o ágil garoto, quase transformando em atropelamento o instante de descanso do desprevenido ancião. Cá para mim deve ter feito “alguma” nas imediações e toca a esconder num qualquer canto da velha casa dos avós onde passa uns dias de férias. Talvez isso ou talvez não, ou talvez qualquer outra de muitas hipóteses: Isto de pintar uma aguarela e depois não saber o que escrever acerca da mesma só podia acabar neste estéril mastigar de palavras com a única finalidade de guarnecer a imagem com umas linhas de texto... Preguiça ou falta de imaginação? Talvez uma, talvez a outra.
Fabriano Artistico rough 7"x 5" - 140lb (18x12,5cm - 300g/m2) paper
Available: Click here/ Disponível: Clique aqui

7 comments:

Villager said...

A minha teoria é que o miúdo deu conta que se esqueceu da hora do almoço e finalmente o estómago deu o alarme.

Rafael Carvalho said...

A justificação dada parece ser a mais plausível.
Cumprimentos.

Paulo J. Mendes said...

Qualquer das hipóteses é bastante provável, como sabem todos aqueles que tivera a felicidade de passar os Verões na "aldeia"...
Um abraço!!

Terry Banderas said...

Another nice one! The dog with its ears at attention and the old man looking in surprise are perfect. The man is probably thinking "I wished I had tripped the kid".

Paulo J. Mendes said...

Very, very possible, Terry :))))
Have a great day!

Luís Bonito said...

Caro Paulo: pela minha parte posso-lhe dizer que não são só as aguarelas que me encantam mas também as histórias que elas encerram, umas vezes contadas por si outras vezes deixadas à nossa imaginação :-)
Bela aguarela, cheia de luz, cor e histórias...

Paulo J. Mendes said...

Obrigado, Luís. Desta vez faltou-me a imaginação para escrever algo sobre o trabalho, talvez por força do dia pardacento, mas fico contente se a imagem o fez por mim :))