Tuesday, October 12, 2010

Entardecer / Late afternoon


Não há muito para dizer acerca desta simples entrada de uma aldeia ao entardecer... Apenas a vontade de trabalhar um pouco essas luminosidades de encanto muito próprio, e celebrar esse mágico momento do dia, um dos meus preferidos, não significando isso que me agrade especialmente o facto de daqui para a frente ocorrer cada vez mais cedo.
Como a saudade destes lugares não-tão-distantes-assim tem vindo a apertar, decidi oferecer a mim próprio um dos próximos dias para visitar alguns deles e assim regalar as minhas vistas sequiosas, bem como humedecer a esponja seca em que a minha alma sempre se transforma quando passa demasiado tempo sem poder alimentar-se de belas imagens e horizontes inspiradores. Mal posso esperar: Até já comprei o pão-de-forma para as sandes!
Not much to say about this simple entrance of a village at dusk .. Just a willingness to work a little on these luminosities with a charm of their own, and celebrate that magical time of day, one of my favorites, not meaning that I especially like the fact that from now it takes place more and more earlier.
As the nostalgia of these not-so-far places has been hitting, I decided to indulge myself by taking one of the next days to visit some of them, and so give a treat to my thirsty views, and a bit of moisten to the dry sponge in which my soul always turns when too much time goes without being fed with beautiful images and inspiring horizons. Can't wait for it: Even bought the bread for the sandwiches!
Papel Fabriano Artistico cold pressed 18x12,5cm - 300g/m2 (7"x 5" - 140lb)
Disponível: Clique aqui / Available: Click here

4 comments:

Lefrontier said...

A luz outonal resultou espectacularmente bem, desde as parreiras até às montanhas distantes. A escolha do Calvário, não sei se propositada adequa-se de forma especial à atmosfera de princípio de Outono desta aguarela. Muito bela!

Eduardo

Paulo J. Mendes said...

Não estou cem por cento satisfeito - nunca estou, para dizer a verdade - mas esta foi uma boa oportunidade de praticar estas luminosidades fora do meu âmbito normal :)))
Os cruzeiros são uma presença habitual aqui pelas aldeias Nortenhas, e não é difícil encontrar um nestes pequenos largos onde vários caminhos se encontram...

Villager said...

Bem, parece que o tempo das vindimas ja' passou...nem sequer um bago resta. Contentamo-nos com a bela luz dourada.

Paulo J. Mendes said...

À excepção dos dias carregados de pardas nuvens, a luz dourada fica todo o ano. Os horários é que mudam, nem sempre para melhor :)))