Friday, September 11, 2009

The house / A casa


"The house" ... A simple title for the simpliest of works, based on a long-standing sketch, one of those who gets left behind, but retained in the desire of sooner or later become a watercolor. A simple house in a street surrounded by beautiful views, in a sunny afternoon, quiet and without a soul to be seen, as it gets too hot by this time.
"A casa"... Um título simples para um trabalho do mais simples que pode haver, baseado num esboço já antigo, daqueles que vão ficando para trás, mas retidos na vontade de mais tarde ou mais cedo vir a aguarelar. Uma simples casa num arruamento bem enquadrado por formosas vistas, numa tarde ensolarada, sossegada e sem vivalma por ser hora em que o calor aperta.
Fabriano rough 5"x7" - 140lb (18x12,5cm - 300g/m2) paper
Etsy shop: Click here / Loja Etsy: Clique aqui

5 comments:

F.M.Marrouch said...

Hola Paulo, tienes razón, la sencillez va muchas veces unido con la belleza, y este último trabajo lo demuestra, es una maravilla descubrir tus postales,siempre de lugares de sueño, no sé si pintas de memoria, al natural o de fotos?, siguen existiendo esos lugares tan auténticos?
El trabajo "Pequenos largos em pequenas vilas" es una maravilla , el dibujo buenisimo, enhorabuena.

Paulo J. Mendes said...

Hola, estos lugares no existen, los imagino yo según mis memorias de infancia y de mis excursiones ocasionales en el campo... La inspiración es siempre del norte de Portugal. Algunos pequeños paraísos como estes siguen existindo, pero siempre amenazados por la construcción desordenada, abandono, fuegos florestales y otras desgracias de los dias de hoy.
Enhorabuena,
Paulo

Villager said...

Chama-se a isto a quietude da canícula. Muito bonita cena.

Rafael Carvalho said...

Não é que exista nenhum tipo de incompatibilidade mas não é fácil encontrar um cenário real onde os espigueiros e os sobrados em tabique coabitem.
Será que é por ambos estarem em extinção?!
Cumprimentos.

Paulo J. Mendes said...

Villager, agora que os dias começam a ficar mais frescos, imagens como esta já começam a suscitar aquela "nostalgia dos dias luminosos".

Rafael, embora o tabique esteja por vezes presente em casas rurais do Minho - embora não sendo de longe o método de construção dominante - tenho que dar-lhe razão, efectivamente não será uma situação muito comum. São partidas que o meu imaginário uma vez por outra resolve pregar...