Wednesday, September 16, 2009

Quinta da Torre


Among the many old farmhouses, more or less noble that still exist throughout the country, giving the landscape a peculiar charm and often welcoming guests to a unique experience, the name "Quinta da Torre" - "Tower Farm" - should be common to a few where there is a prominent architectural body, often an old medieval tower ... It is not the case with this one, more recent, which we see dominating the skyline with a certain grandeur, but it doesn't make it less interesting: It may not be the oldest of the "Tower Farms", but it is certainly the most imaginary .
De entre as muitas velhas casas de quinta, mais ou menos senhoriais que ainda existem por todo o País, dando à paisagem um encanto peculiar e muitas vezes acolhendo hóspedes para uma experiência única, o nome "Quinta da Torre" deverá ser comum a umas quantas onde exista um corpo arquitectónico proeminente, em muitos casos uma velha torre medieval... Não é o caso desta, mais recente, que aqui vemos dominando o horizonte com certa imponência, e que não deixa de ser interessante por causa disso: Pode não ser a mais antiga das "Quintas da Torre", mas é de certeza a mais imaginária.
Fabriano rough 7"x5" - 140lb (18x12,5cm - 300g/m2) paper
Sold / Vendido

7 comments:

Arménia Baptista said...

...E ficou mesmo bonita!...para mim, o quarto da torre, deve permitir cá uns sonhos!!!
;)

Rafael Carvalho said...

Nesta quinta nada falta:
- acesso com ramada;
- fontenário;
- capela (sinal de independência, também religiosa);
- ...
Cumprimentos.

Paulo J. Mendes said...

Arménia, o quarto da torre deve ser o mais procurado pelos visitantes e hóspedes desta quinta... Não os censuro :))

Rafael, apenas faltamos lá nós, desfrutando do sossego e da paisagem.

Villager said...

Esta cena, que é uma sobremesa para os olhos, lembrou-me um livro que li há muito tempo, "Os Fidalgos da Torre" de Sara Beirão. Uma história muito idealizada que no entanto nos acalma as inquietações da vida moderna. Um bom medicamento de que eu preciso mais.

Paulo J. Mendes said...

Fiquei com curiosidade acerca dessa obra, que me parece do género literário que aprecio :))

Diane Hoeptner (hep-ner) said...

Lovely!

Paulo J. Mendes said...

Thank you, Diane :)))