Wednesday, February 4, 2015

Duas dos Arcos / Two from Arcos


Depois da minha passagem por Ponte de Lima, segui para os Arcos de Valdevez; Muito teria para dizer sobre esta vila que tanto aprecio, se boa parte das vezes que por ela tenho passado não fosse sem parar, rumo a algum dos muitos e extraordinários lugares do seu extenso concelho, para mim o mais verdejante de Portugal. Desses falaremos noutro dia...
Desta vez fiquei-me mesmo pela vila, atraído por este recanto tantas vezes avistado desde a estrada. O açude, o casario e a proeminente figura da igreja de São Paio formam a composição perfeita para um desenho, e ali passei um agradável bocado. A zona ribeirinha dos Arcos é das mais bucólicas que conheço, e conheço muito pouco, o que me garante a felicidade de futuras e mais proveitosas explorações.
After my passagem by Ponte de Lima, I headed to Arcos de Valdevez; I could tell a lot about this town I appreciate so much, if most of the times I pass here were not without stopping, on my way to some of the many extraordinary places of its extensive municipality, for me the most verdant in Portugal. We'll talk about those some other day... 
I stayed around the town this time, attracted by this corner so many times seen from the road. The dam, the houses and the prominent figure of the São Paio church formed the perfect composition for a sketch, which I did pleasantly. The riverside area of Arcos is one of the most bucolic I know, and I know very little, something that ensures me the happiness of future and fruitful explorations.

Ainda tinha tempo para mais um desenho, e entrei na vila em busca de um motivo interessante. Não precisei de andar muito, pois encontrei logo um. Outros mais atractivos ou monumentais haveria se tivesse continuado, mas gostei deste enquadramento e por ali preguiçosamente me deixei ficar. Era hora de almoço e o sossego reinava; Pouca gente passava na rua e o silêncio só era cortado pelo entrechocar de talheres numa qualquer sala de jantar. Ouvi uma mulher com uma touca de cozinheira bater à porta de alguém para ver se lhe vendiam carne para rojões... Provavelmente a procura excedera a oferta em algum restaurante onde, a julgar pela demanda, alguém exerce com mestria o seu ofício.
Still had time for one more sketch, and entered town in search of an interesting subject. I didn't need to walk so much, as I immediately found one. Others more attractive or monumental would be found as far as I continued, but liked this one's composition and there I lazily stayed. It was lunch time and quietness prevailed; Few people passed and the silence was cut only by the cutlery clash in some dining room. I heard a woman with a chef's cap knocking at someone's door to ask if they could sell her some meat for rojões... Probably demand exceeded supply in some restaurant where, judging by this errand, someone is doing its job masterfully.

2 comments:

Diane L Hoeptner said...

Wonderful!

Paulo J. Mendes said...

Thank you Diane, my favorite cat painter :))