Friday, June 11, 2010

An old woman shelling broad beans / Uma velhota a descascar favas


I previously praised the broad bean here, that beautiful legume I count among my favorites at the table, to the point of having devoted a piece of my yesterday morning to do exactly the same of this nice old lady, with the difference that behind me I had not one of these crooked and magnificent examples of traditional house, a genre that also has been here the focus of my flattering attention...
So what else can we speak about? Perhaps the existential doubt that was taking me as long as the brush was progressing in its advance by the rectangular arena: Is this same old woman who wears the pink trousers we see hanging?
Já em tempos aqui fiz o elogio da fava, essa bela leguminosa que conto entre as minhas preferidas à mesa, a ponto de ter dedicado um pedaço da manhã de ontem a fazer exactamente o mesmo que faz esta simpática velhota, com a diferença de que atrás de mim não tinha um destes desconchavados e magníficos exemplares de casa tradicional, de um género que também por aqui já foi alvo da minha elogiosa atenção...
Resta-nos pois falar de quê? Talvez da dúvida existencial que foi tomando conta de mim à medida que o pincel ia progredindo no seu avanço pela rectangular arena: Será que é ela, esta mesma velhota, quem veste as calças cor-de-rosa que vemos dependuradas?
Fabriano Artistico rough 7"x 5" - 140lb (18x12,5cm - 300g/m2) paper
Sold / Vendido

6 comments:

Katherine Thomas said...

It's amazing to me how quickly you can produce a finished piece. These would take me months to complete... They are all so beautiful.

Paulo J. Mendes said...

Thank you, Katherine. The most time consuming part of the job is the drawing itself... The painting job is easier and doesn't take so much time because it's very small sized. Bigger sizes also would take me weeks, and in some cases months to complete, at least in my previous attempts :))

Rafael Carvalho said...

Quando a velhota se finar, o que desejo que aconteça daqui por muitos anos, que os netos lhe recontruam casa. Ambos merecem.

Paulo J. Mendes said...

Partilho desse sentimento, mas espero que a boa senhora descasque e coma muitas favas até chegar esse dia :))

Luís Bonito said...

Ah, favas!
Belo manjar.
Um amigo meu disse-me que as toupeiras não gostam do cheiro das favas e plantei algumas no limite do meu jardim...
A ver vamos :-)
Belo quadro.

Paulo J. Mendes said...

É a época delas!... Época magnífica em que não precisamos de recorrer às suas acanhadas congéneres congeladas, e as podemos saborear em pleno.
Daqui a pouco vou sair e olá se não trago um saco cheio para o jantar. Dá mais trabalho por causa do descasque, mas compensa mil vezes :))